(41) 3408-2682 / (41) 99963-5682 contato@gcostaconsultoria.com.br

Afinal, o que é o cheque especial, o famoso “limite da conta”, aquele dinheirinho que você consegue sacar do banco mesmo tendo saldo zerado na conta?

O cheque especial é uma modalidade de EMPRÉSTIMO, com um valor pré-aprovado e líquido, que pode ser sacado a qualquer momento pelo cliente, sem ter que assinar um contrato ou confirmar a utilização. Isto acontece por que, no momento da implantação do cheque especial, geralmente na abertura da conta corrente, o cliente já assina um contrato de utilização do cheque especial. Pela sua FACILIDADE, o cheque especial acaba muitas vezes sendo mal utilizado pelo cliente, se endividando além do que consegue pagar. Isto é explicado por psicologia de consumo, mas isto fica para outro momento. Vamos dar algumas dicas sobre como podemos utilizar de forma correta o cheque especial, sem deixar que ele seja seu pior inimigo!

1 – Só por que sai da sua conta, não quer dizer que o dinheiro é seu.

            Entender esta dica é fundamental para ter uma mentalidade positiva quanto ao cheque especial. Muitas pessoas olham o “Saldo disponível” na linha final do seu extrato, que soma o valor que a pessoa realmente tem na conta, com o cheque especial, e acreditam que podem utilizar todo aquele saldo em seu orçamento. O valor disponível no cheque especial é um valor EMPRESTADO pelo banco para você, com taxa de juros ALTÍSSIMA, que tem o potencial de triplicar o valor emprestado em alguns meses. Este dinheiro não é seu!

2 – Use no curto prazo, não no longo e médio prazo.

Todos os bancos comerciais e cooperativas de crédito tem linhas de empréstimo e financiamento que são muito mais baratas que o cheque especial. Sempre que for pegar dinheiro emprestado de um banco, entenda se terá como pagar sua dívida no curto prazo, em menos de um mês, ou se terá que estender o pagamento para alguns meses ou anos. Se não tiver CERTEZA de que irá conseguir quitar esta dívida em no máximo um mês, nunca utilize o cheque especial: contate seu gerente e procure uma linha de crédito mais barata.

3 – Mesmo no curto prazo, use com cautela.

Mesmo que vá realizar o pagamento dentro de um mês ou menos, verifique a real necessidade de se pegar este dinheiro emprestado. Muitas vezes, pode-se postergar o pagamento de boletos, empréstimos, financiamentos e outras contas a pagar, pagando-se uma multa ou taxa de juros muito inferior à do cheque especial. O cheque especial deve ser seu último recurso, aquele que você utilizará para emergências em último caso, quando todas as opções mais baratas não atenderem sua necessidade.

4 – Entenda como o cheque especial funciona no seu banco.

Alguns bancos oferecem diferenciais para alguns clientes, como 5 ou 10 dias de utilização do cheque especial sem cobrança de juros. Existem também outras vantagens que o banco pode oferecer, o que pode tornar o cheque mais atrativo em situações específicas. Por exemplo: você tem um boleto para pagar que está vencendo hoje, e sabe que só irá receber dinheiro suficiente para pagá-lo daqui 7 dias. Caso tenha esta vantagem de 10 dias de utilização do cheque especial sem cobrança de juros, vale mais a pena sacar o dinheiro do cheque especial do que pagar a multa do boleto. Mas seja sincero consigo mesmo: caso não tenha certeza se irá receber o dinheiro para pagar o boleto em poucos dias, talvez seja mais interessante buscar uma modalidade de empréstimo mais barata.

5 – Verifique constantemente os lançamentos em sua conta.

Acontece sempre: passa-se alguns dias sem olhar a conta e, quando a pessoa vai tirar um extrato, acredita que o valor está incorreto. É importante manter controle de suas contas, e sempre reconhecer os lançamentos que estão sendo feitos – especialmente se estiver sendo utilizado o cheque especial. Algum cheque descontado em data diferente da combinada, uma compra lançada no débito ao invés de crédito pela loja, e outros tipos de erro podem custar muito dinheiro, caso não sejam identificados rapidamente. Imagine que, em um mês, por um valor de 1000 reais, os bancos costumam cobrar entre 100 e 120 reais. Uma rápida verificada em sua conta pelo aplicativo no celular ou no site do banco pode fazer você economizar muito dinheiro!

6 – Renegociar pode ser a solução.

Caso aconteça de você estar com um valor muito alto no cheque especial, procure seu gerente de banco para renegociar a dívida: geralmente os bancos oferecem uma taxa de juros menor e um prazo estendido para estas negociações.